Atividades e exercícios físicos regulares criam “poupança óssea” e protegem o corpo no futuro | Firme Forte | Osteoporose

Atividades e exercícios físicos regulares criam “poupança óssea” e protegem o corpo no futuro

Manter-se ativo permite gerar uma reserva que diminui a perda de massa óssea em idade avançada e o risco de doenças como a osteoporose

Praticar exercícios e atividades físicas regularmente não contribui apenas para manter o peso e evitar doenças cardiovasculares. Pessoas que se mantém ativas durante a vida garantem uma “poupança óssea” para o futuro, perdendo menos massa óssea e tendo riscos menores de sofrer de doenças como a osteoporose, quando comparadas a quem levou uma vida sedentária.

Mônica Longo, fisioterapeuta integrante da Comissão Científica da ABRASSO (Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo), explica que o corpo que recebe estímulos gerados pela prática de atividades físicas ou exercícios é capaz de formar massa óssea em maior quantidade e com melhor qualidade, especialmente até os 35 anos. A partir de então o corpo passa a perder massa óssea e muscular gradativamente.

“Nesta idade o organismo atinge seu pico de massa óssea”, afirma a integrante da ABRASSO. “O que a pessoa obtém até esta faixa etária funciona como uma reserva importante para o futuro, capaz de prevenir problemas graves nos ossos. Além disso, pessoas fisicamente ativas perdem menos massa óssea”, completa Mônica.

Este fato ajuda a explicar porque a prática regular de exercícios previne a osteoporose, já que o corpo se beneficia diretamente não apenas pelo ganho de massa óssea, mas também pela força muscular adquirida. Com isso o risco de quedas e fraturas é reduzido, gerando qualidade de vida superior para quem sempre se cuidou.

Estímulos para o esqueleto

De acordo com Mônica, os ossos humanos se renovam a cada três ou quatro meses. Exercícios e atividades físicas melhoram este processo, acarretando em ganhos importantes para a saúde da pessoa. A fisioterapeuta também alerta que é preciso tomar cuidado para não exagerar e sobrecarregar o corpo: “Você terá o efeito contrário”, explica.

Como o osso é altamente adaptativo e se “acostuma” com a carga e o tipo de exercício, é preciso praticar atividades variadas e de forma progressiva. “Uma vez por semana ajuda, mas não basta. Se alguém caminha duas vezes por semana, é preciso aumentar o número de vezes ou a intensidade. Adicionar uma atividade diferente também é uma opção”, comenta Mônica.

Exercícios e atividades físicas que incluam força muscular, equilíbrio, coordenação, flexibilidade e mobilidade são importantes para melhorar a saúde óssea e prevenir fraturas.

Entre as atividades indicadas estão musculação, pilates e caminhada. A fisioterapeuta ressalta que é importante incluir no programa exercícios que também trabalhem a mudança de direção, como a dança ou o Tai Chi.

“Isso auxilia a prevenir quedas, já que trabalham o reflexo, atributo que em pessoas idosas é menor devido ao processo de envelhecimento dos músculos”, diz Monica. Exercícios na água não são recomendáveis neste caso. “O osso não se beneficia de atividades na água, como a natação, mas exercícios como uma hidroginástica que privilegie potência (força e velocidade) tem-se mostrado benéficos para os ossos, ajudando a manter a massa óssea”, explica a integrante da Comissão Científica da ABRASSO.

A orientação e o acompanhamento profissional de um educador físico e fisioterapeuta são importantes para evitar que a prática acarrete em problemas e lesões.

Sobre a ABRASSO

A Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo – ABRASSO foi criada em 2011 a partir da fusão da Sociedade Brasileira de Densitometria Clínica, da Sociedade Brasileira para Estudo do Metabolismo Ósseo e Mineral e da Sociedade Brasileira de Osteoporose. Possui mais de 1500 associados de diversas especialidades médicas, como radiologia, reumatologia, ginecologia, endocrinologia, e profissionais de outras áreas da saúde.

A ABRASSO é a principal referência em osteometabolismo no Brasil e mantém parceria com diversas instituições: The American Society for Bone and Mineral Research, Colégio Brasileiro de Radiologia, Sociedad Iberoamericana de Osteologia y Metabolismo Mineral, The International Society for Clinical Densitometry e Internetional Osteoporosis Foundation.

A missão da ABRASSO é difundir conhecimento entre profissionais de todo o Brasil para ampliar a prevenção e o tratamento de doenças como a osteoporose, que afeta mais de 10 milhões de brasileiros.

 

Twitter

Dica Firme e Forte

ToolsCalculadora

Para previnir a osteoporose: consuma mais alimentos com cálcio e vitamina D, tome mais sol e faça mais exercícios com algum impacto. Não deixe de fazer os exames preventivos, incluindo a denistometria óssea.

Arquivos

Depoimentos [+] outros depoimentos

Embora o tratamento medicamentoso da osteoporose seja capaz de reduzir em até 60% o aparecimento de novas fraturas, o ideal é inicia-lo antes que a primeira fratura tenha ocorrido.

 

Dra. Vera L Szejnfeld, médica reumatologista, atual Diretora Científica da ABRASSO.

21/09/2011

Lorem ipsum dolor sit amet

“A osteoporose é real e afeta a todos. É preciso mobilizar a todos e mostrar que embora difícil, é possível conviver com a doença, trabalhar e ter uma vida normal.”

Suely Roitman, Presidente da FENAPCO

Dica Firme e Forte

ToolsCalculadora

Para previnir a osteoporose: consuma mais alimentos com cálcio e vitamina D, tome mais sol e faça mais exercícios com algum impacto. Não deixe de fazer os exames preventivos, incluindo a denistometria óssea.

Teste de Osteoporose

ToolsTesteOsseo

São apenas 19 perguntas simples para você descobrir como está a saúde dos seus ossos.

Teste de Osteoporose